A seleção de artistas para participar do Arpejo Remixes (debut album do Monobloq) foi feita a dedo. Tudo pensando para uma releitura das faixas com o máximo de identidade possível dentre os remixes. O álbum original é muito consistente e com uma identidade forte, logo a ideia de diversificar, sem perder o foco, foi essencial para o Arpejo Remixes.

Começando a saga, o remix da dupla Victor Enzo e Against The Time tem um toque industrial de techno, com uma pitada de acid, e não deixa perder a vibe da track original, mas com uma força bem característica dos dois produtores. Já testei nas pistas por onde toco e sempre é sucesso.

Gabriel Moraes fez uma versão de Maravalhas que ficou muito interessante, com uma mix impecável,  colocando texturas em uma base forte, e baterias bem limpas chegou a um resultado bem próprio e de altíssima qualidade. Basicamente como o duo Binaryh, que fez uma reconstrução da Ravina, colocando a identidade do duo no som, com uma linha de baixo bem pra frente, bastante energia, mantendo alguns synths da original.

Be Morais que já é conhecido aqui na Nin92wo, criou uma versão bem melódica com um toque que aprecio muito nos sons dele em geral, que é sempre um desenvolvimento crescente e com distorções e um peso na medida. Weird como tem que ser, com a progressão e construção redondas.

Debutando aqui na Nin92wo, o duo Mumbaata me surpreendeu com uma releitura bem orgânica da Hirta, e uma pegada bem house, o que é uma virada e tanto para a faixa original, que é techno. Resultado bem fora da curva, mas com identidade e muito bem aceito no nosso promo.

Uma das releituras que achei mais interessante, pela forma de construção e a forma que ela se porta na pista, foi a versão do Moov, de Onirica. A construção e a leveza que ele conduziu o remix usando a base da original, mas reprogramando toda a bateria, e colocando pads, reverbs e delays vão conduzindo quem escuta a uma viagem que leva do “dia a escuridão”, e o ápice dela acontece depois de um longo breakdown e uma bela volta!

Upon Death são meus amigos gregos, que moram em Berlin atualmente e são muito talentosos! O toque deles pro remix foi reconstruir uma base mais loopada, em uma track não tao rápida mas com um groove peculiar e a sonoridade obscura.

O conjunto da obra está impecável na minha opinião. Todos os artistas fizeram trabalhos incríveis e nos deram um lançamento ímpar! Fico feliz em ver que nossos releases não perdem em qualidade pra bons selos internacionais. Tudo isso é fruto de um conjunto Label/Artista, que tentamos fazer da melhor forma possível. Obrigado a todos!

Force on the dance floor! 

Share this Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.