Fala galera, eu sou Gabriel Moraes produtor de música eletrônica formado pela faculdade Anhembi Morumbi em São Paulo. Fui convidado para comentar um pouco sobre algumas técnicas de produção musical aqui no site da Nin92wo. Escolhi um tema que as pessoas sempre me perguntam: A ambientação das músicas.

Muitas vezes recebo tracks para ouvir e sinto que apesar das músicas terem groove e elementos interessantes, me parece que falta uma ambiência nos sons. Geralmente as pessoas acabam usando só um reverb para fazer a ambientação, porém, quando o reverb não é bem feito pode atrapalhar mais do que ajudar, e existem outras alternativas para fazer uma boa ambientação para a track.

Existem diversas formas de se alcançar um som de ambientação, e as vezes o segredo é tentar desconstruir algum som e tentar transforma-lo em outra coisa completamente diferente. Para fazer isso muitas vezes eu uso algum elemento que já está inserido na track para servir como uma fonte sonora para a ambientação, por exemplo um som de Tom

Exemplo:

Vou tentar mostrar de forma prática o que eu faço pra conseguir transformar o som do tom em uma ambiência. A primeira coisa que eu faço é rotear o som do tom para um canal auxiliar, dessa forma nós não vamos alterar o som original do canal, e sim o som do ‘layer’ que criamos. No canal auxiliar, a ideia é usar diferentes efeitos sonoros para alterar aquele som até que ele se torne completamente diferente do som original. Use a criatividade, teste diferentes tipos de efeitos sonoros como, por exemplo, delays, distorções, reverbs, bitcrushers, LFO’s, Filtros… A única regra nesta hora é desconstruir o som original. Coloquei um print-screen de um exemplo de rack de efeitos simples que normalmente uso nos meus canais auxiliares de ambientação.

Um som ambiente geralmente é um som distante, um reflexo da fonte sonora em alguma sala. Para criar um som com profundidade, a ideia é tirarmos a presença dele, ou seja, cortar um pouco os agudos e graves, para fazer isso eu uso equalizadores, reverbs e delays. Um som reverberado, saturado, com delays ou/e distorções e com pouca definição em alguns casos é percebido como um som distante para o nosso cérebro, e é essa a ideia que queremos alcançar.

O resultado após todos os efeitos que coloquei:

Esperam que tenham aproveitado. Obrigado!

 

Share this Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.