Por Georgia Kirilov

“Everyone is a DJ” (todo mundo é um DJ): é uma frase recorrente da cultura pop que – obviamente – não reflete a cena clubber por inteiro, porém reflete sim uma faceta dessa crescente que a mesma vem vendo nos últimos anos. Com o desenvolvimento tecnológico de diversas ferramentas – de interface, hardware, software… – como Akai Push, Xfer Serum, novos plug-ins para o Ableton Live, TR8, OP-1, entre outras, as possibilidades para produção atingiram um pico nunca antes visto, assim viabilizando uma pluralidade de criações que seguem essa evolução exponencial. A linguagem e o domínio dessas ferramentas, porém, não se dissemina entre os produtores com a velocidade que surgem e o conhecimento técnico para jovens produtores as vezes fica em segundo plano.

Acaba sendo detrimental para a cena como um todo quando “todo mundo é um DJ” ou um produtor, no caso. Detrimental porque a arte que é a produção musical e a performance em um deck cai em falácias de entretenimento aonde o produto final não só não é tão bom quanto poderia ser, mas vende-se como se fosse o melhor de todos. É necessário proliferar o acesso ao conhecimento técnico da música eletrônica, e de toda sua história e impacto nas culturas com que interagiu desde o seu surgimento – algumas das quais já falamos por aqui – para que exista de fato, uma maturação na cena nacional.

Essa maturação trata-se de colocar a produção brasileira como referência no panorama internacional e também em disponibilizar melhores produtos para o mercado nacional – desde DJs, até labels, festas, e cursos. É seguindo essa linha de pensamento que a Nin92wo, em parceria com Junta e Music Lab, convida todos para a segunda edição do COOLLAB. O evento rola durante os dias 14 e 15 de setembro e apresenta o painel O DJ como movimentados cultural: fazendo a cena através da cabine com mediana do David Santillo e de André Pulse, e com os participantes: Alex Justino, Gabi Borghetti, Mari Perrelli e Angelo Martorell, com After Hours pelo Music Lab Team: Larissa Porto e Guilherme Alb (no dia 14); e Worshop com o tema Entendendo o processo criativo dentro da produção musical com Alex Justino e Talking Machines, com After Hours pelo Nin92wo team: Monobloq, Talking Machines e LuizFribs (no dia 15). Os valores são amigos: 15 reais pelo primeiro dia/ou segundo (individual) e 30 reais pelos dois dias. O encontro conta com o apoio da Fila Brasil, Nin92wo, Lost and Found, 5uinto, House Mag, Diário da Manhã, SPOT, Solow Bass e Solta. Mais infos aqui:

Share this Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.